Pague em até 3x sem juros nas compras acima de R$ 160,00 pelo PayPal

Cardini e o Baralho "Peau Doux"

Postado por em

Em 1934 Cardini já era um mágico famoso. Exibia seu ato clássico, personificando um aristocrata, vestido com casaca e cartola, que meio bêbado, entrava no que parecia ser o lobby de um hotel. Iniciava-se então a aparição em seus dedos de vários leques de cartas, fugindo ao controle do personagem, que tentava sempre se livrar delas, mas que sempre voltavam a aparecer. Tudo ocorria, aparentemente, sem a interferência de Cardini. A magia ocorria para ele, e não produzida por ele. Após se livrar das cartas, também bolas, cigarros e lenços pareciam não o deixar em paz. Este ato, que foi apresentado até pouco antes da sua morte em 1973, percorreu teatros e casas noturnas famosas em todo o mundo. Pode ser visto no YouTube no link https://www.youtube.com/watch?v=HhZ_DYGK6xY  filmado em uma apresentação em 1957, para a televisão. Cardini tinha então 62 anos.

No início de 1934, Cardini conhece um baralho fabricado pela US Playing Card, produzido e comercializado pela rede de drugstores americana Walgreen. Com as faces seguindo o padrão usado à época por aquele fabricante americano, chamou a atenção de Cardini quase certamente pela qualidade do seu acabamento superficial e desenho do dorso, com cores contrastantes, mostrando um cavalo alado dourado, sobre cores sólidas. Sem dúvida muito adequado para produção de leques em cores e formas contrastantes.

Entusiasmado pela marca ("Peau-Doux", exclusiva de Walgreen) Cardini escreve para a empresa perguntando sobre a quantidade disponível no estoque da empresa. Walgreen responde em um telegrama a Cardini, que na época estava se apresentando no Loewes Metropolitan Theatre, em Boston, Mass.

 

(foto 1, do telegrama original).

Informa que ainda têm em estoque mil baralhos. Cardini esboça sua resposta no verso deste telegrama, usando máquina de escrever e sua própria caligrafia, informando que compraria as mil unidades, desde que fosse garantido por escrito a ele que o baralho com aquele desenho não seria mais reeditado, nem vendido no futuro. Cardini solicitava, assim, exclusividade deste padrão para suas apresentações.

(foto 2, do telegrama original solicitando a exclusividade)

Walgreen, com sede em Rochester, NY, envia carta datada de 30 de janeiro de 1934, atestando ter em seu estoque os mil exemplares do baralho, com o dorso Peau-Doux, informando que o desenho estava descontinuado e garantindo, conforme Cardini havia solicitado, que não seria reeditado.

(foto 3, do documento original da Walgreen).

Cardini comprou, então, o lote remanescente do baralho, que utilizou até sua morte, em seu famosíssimo ato. Um amigo dele afirma que o conjunto custou US$ 3,000.00. Na referência do YouTube, acima mencionada, nota-se, em algumas passagens, o dorso com o cavalo alado, típico e exclusivo da marca Peau-Doux, que se tornou exclusiva de Cardini. Um lote usado por ele em suas últimas apresentações foi leiloado por Potter & Potter, em 2013, atingindo US$ 3,400.00. Baralhos lacrados, remanescentes do estoque comprado por Cardini são vendidos por uma média de US$ 500.00 ou mais, para colecionadores de baralhos e de mágica.

(foto 4, do baralho Peau-Doux original).

(foto 5, do baralho Peau-Doux original à esquerda e a reimpressão à direita).

Em 2017 uma edição limitada a 2.500 peças, usando a marca e o dorso 'Peau-Doux', revive este famoso baralho, comemorando este mágico que marcou com seu estilo típico, a magia do século 20.

Walgreen tem se destacado por atrair outros mágicos aos baralhos que edita e comercializa. O mágico inglês Guy Hollingworth afirma que tem preferência pela marca "Stud", fabricada pela US Playing Card exclusivamente para aquela rede de drugstores, até hoje. Neste caso, Guy não solicitou exclusividade da marca, que pode ser encontrada (pelo menos por enquanto) nas lojas de Walgreen.

Texto de Cláudio Décourt (Ruberdec).

 Documentos e baralho original das fotos da coleção de baralhos e mágica de Ruberdec.

Cardini Cardistry Coleção Peau Doux

Postagem seguinte →



Deixe um comentário

Observe que os comentários precisam ser aprovados antes de serem publicados